O empresário cristão neste momento

Enfrentar o desafio da atividade empresarial exige do empresário equilíbrio, bom senso e prudência para decidir sobre o hoje com perspectivas para o futuro, não olvidando as consequências enfrentadas no passado.

Hoje, no Brasil e no mundo, o empresário sofre as consequências do tsunami conhecido como coronavírus – Covid-19 – que assola a todos indistintamente.  A pandemia anunciada trouxe consequências econômicas e sociais desafiadoras para todos.

No ambiente familiar promoveu a separação e o isolamento de todos, com o objetivo de se evitar a contaminação; o mesmo acontecendo nos ambientes de trabalho; exigindo que as autoridades orientassem medidas que, com certeza, não agradam, mas, que são necessárias e de proteção para todos.

O empresário no exercício de seu mister deve preocupar-se em desenvolver sua atividade empresarial, sem, no entanto, esquecer-se do seu compromisso com a dignidade da pessoa humana de todos os que o cercam, em especial seus colaborares, os empregados. Sob esse aspecto deverá sempre se envolver no processo dialético do ser, objetivando o ter como decorrência lógica de sua atividade; sem, no entanto, esquecer-se de que é um instrumentalizador do bem comum. Aliás…

Relevante afirmar que a ADCE tem como objetivo levar para os empresários a mensagem e a orientação no sentido de que deverá haver o esforço de parametrizar a atividade empresarial fundamentada nos princípios fundamentais da Doutrina Social da Igreja.

O empresário, neste momento de desafio crucial, poderá estar convivendo, se não estiver fulcrado nAquele que tudo pode e tudo realiza, com o desespero e a angustia da incerteza.   

Medidas dos governantes nas áreas municipal, estadual e federal são implementadas como suportes para que sejam vencidos com menos turbulências os desafios econômicos atuais.

A ADCE diz que os desafios se nos apresentam para serem enfrentados por todos os empresários cristãos com galhardia e altivez, não por que confiamos em nossas próprias forças, mas, por que a Misericórdia do Pai está à nossa disposição, em especial, quando invocamos a intercessão de Maria Santíssima com o Título de Medianeira de Todas as Graças.

Carinhosamente

Etevaldo Queiroz Faria
Advogado e membro da diretoria da ADCE Sorocaba

Um comentário Adicione o seu
  1. Excelente reflexão! Com certeza temos que acreditar nas nossas forças, e principalmente crer que o Pai confia em cada um de nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *