Storytelling, o Papa e a arte de contar histórias

Em todos os anos o Papa traz uma reflexão através de carta para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, que é comemorado sempre na solenidade da Ascensão do Senhor, que neste ano de 2020 cai na data de 24 de maio. O início desta prática se iniciou com o Concílio Vaticano II e tem como o objetivo alertar sobre os aspectos do impacto das novas formas de comunicação tem sobre a sociedade atual.

Cartaz oficial do 54º dia mundial
das Comunicações Sociais no Brasil

Para este 54º ano o Papa Francisco propôs como tema “Para que possas contar e fixar na memória” (Ex 10, 2). A vida faz-se história” que tem como ponto central a arte de contar histórias, capacidade do ser humano em comunicar fatos passados para que seja perpetuado pelas gerações.

A nossa tradição de contar histórias foi se aperfeiçoando através dos tempos, de uma tradição meramente oral, de pai para filho, pelas gerações, depois passando pela prática das pinturas rupestres, pelo teatro grego, pela imprensa de Gutemberg, fotografia, cinema, rádio, TV até os stories de nossa rede social favorita. Há todo momento contamos histórias, construímos narrativas, transformamos seres humanos em heróis ou destruímos sua vida em poucos segundos. Conforme o Papa Francisco, o ser humano não somente tem necessidade de comer, dormir ou te satisfazer os seus desejos, “mas também o único que tem necessidade de narrar-se a si mesmo, «revestir-se» de histórias para guardar a própria vida.”

Afinal de contas, o que isso tudo tem a haver com o seu negócio? Praticamente tudo, desde que o marketing do século XXI abraçou o conceito de Storytelling.

Storytelling nada mais é do que construir uma narrativa para a sua empresa ou marca. É através da prática do Storytelling que podemos entender qual seria o tipo de consumidor ideal que compraria o seu produto ou serviço e, a partir daí, criar diálogos possíveis com as suas peças de propaganda, textos nas redes sociais, site, fotografias e criar uma experiência de consumo.

Muitos “digital influencers” – ou podemos dizer influenciadores digitais – são nada mais do que ótimos contadores de histórias. Eles procuram através de suas atividades diárias de vida nas postagens e stories contar uma história, muitas vezes artificial, em que você mergulha em sua narrativa, fazendo com que o anúncio de um produto se torne completamente natural, como se fosse uma indicação de alguém que se tornou confiável bastante para abrir a sua história para você.

Talvez sua empresa tenha alguns anos de vida, ou muitos de estrada. Porém percebo que quase nenhuma consegue encadear uma “história de sua existência” de forma encadeada. Os empresários não conseguem contar a sua história, a sua trajetória até chegar no ponto de hoje. Perdem assim uma rica oportunidade de transformar a sua história em storytelling, em marketing para conquistar o consumidor.

E não se trata somente de empresas e empresários. Você também pode construir o storytelling da sua vida! Como foi a sua trajetória profissional até aqui? Quais foram as suas experiências marcantes? As conquistas? Os fracassos? Talvez seja a hora de você construir o seu personagem para que encontre as respostas necessárias que há tanto tempo procura. “Mergulhando dentro das histórias, podemos voltar a encontrar razões heroicas para enfrentar os desafios da vida.”, sentencia o Papa Francisco.

Mas, voltando a carta, o Papa alerta que temos que tomar cuidado com as histórias que não edificam, que não trazem nenhum benefício para o desenvolvimento humano. “Numa época em que se revela cada vez mais sofisticada a falsificação, atingindo níveis exponenciais (o deepfake – vídeos criados artificialmente a partir de rostos reais, geralmente de pessoas famosas), precisamos de sapiência para patrocinar e criar narrações belas, verdadeiras e boas. Necessitamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas. Precisamos de paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras lacerações de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia a dia”. Temos que fugir de histórias meramente artificiais, que não contam a realidade da empresa em face de conquistar mais vendas, mais clientes; ou em escala pessoal, eliminar concorrentes e angariar postos mais altos. Como dizem, o pai da mentira é o diabo e, como diz no ditado, ela tem perna curta.

Precisamos como empresários criar storytellings que consigam inspirar colaboradores, fornecedores e, principalmente, clientes de que não é somente a compra de um mero produto ou serviço. Está ali dentro de cada pote ou pacote e de cada e-mail enviado, uma história repleta de heróis do dia a dia, que usa a trajetória da sua vida como construção de um legado.

Qual é a história que você tem para contar?

Que tal começar hoje?

Fábio Fernando Torrezan
Design Gráfico e Diretor de Comunicação da ADCE Sorocaba

Um comentário Adicione o seu
  1. Storytelling, o poder das novas comunicações e das novas formas de chegar as pessoas. É o poder da comunicação aproximando as pessoas e fazendo com que as empresas possam desempenhar papeis de proximidade com o cliente, uma vez que estão ai para ajuda-los e não para vender simplesmente um produto.
    Parabéns pela material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *